CEAEC investe no sistema de prevenção de incêndios

A atualização visa a preservação do acervo e a segurança do público

No primeiro semestre de 2021, o sistema de prevenção e combate a incêndios do CEAEC passou por atualização de sua infraestrutura. O projeto foi desenvolvido no período de novembro de 2017 a outubro de 2018 na gestão do Secretário-Geral Fernando Barbaresco, que se empenhou em levantar os recursos financeiros necessários; aprovado em 2019 e implementado agora na gestão do Secretário-Geral Roberto Leimig com apoio do vice Janer Vilaça.

Instalação do Reservatório (Foto: Acervo CEAEC)
Hidrantes (Foto: Acervo CEAEC)

As atualizações contemplam 11 medidas de segurança, divididas em 13 blocos. Entre elas destacam-se a implantação da central eletrônica com sistema de sensores para detecção de focos de incêndio que oferece agilidade e confiabilidade, pois informa diretamente no display da central qual dispositivo foi acionado e sua localização exata. Além da central, foram implantadas nova estrutura de extintores, sistema de hidrantes e a construção de um reservatório de água com 30 mil litros de capacidade.

Reservatório de água instalado (Foto: Acervo CEAEC)
Central eletrônica (Foto: Acervo CEAEC)

O objetivo fundamental é garantir a segurança de todas as pessoas que ocupam e circulam pelo campus, a preservação do patrimônio holotecário da Conscienciologia, atualmente com um acervo de mais de 1.700.000 artefatos do saber, distribuídos em mais de 300 coleções, bem como a proteção de todas as estruturas do Campus CEAEC, entre as quais o Holociclo, o Tertuliarium, o Cognitarium, o Acoplamentarium, os Laboratórios e demais edificações.

"Mesmo que o risco seja pequeno, é importante sempre estarmos atentos às atualizações e implementá-las."

Janer Vilaça (Vice-Secretário do CEAEC)

O fogo traz impactos catastróficos para as estruturas arquitetônicas e bens culturais, quase sempre com perdas irreparáveis, a exemplo do que ocorreu no Museu Nacional no Rio de Janeiro em 2018 e mais recente na Cinemateca de São Paulo no dia 27 de julho de 2021, podendo ser evitadas ou muito reduzidas, por meio de procedimentos adequados, uso de novas tecnologias e criação de uma cultura de prevenção em organizações de patrimônio.